PARA O PÚBLICO:

13340061_1198501933495288_30759590583234

De acordo com a Lei Federal nº 9.985/2000, que institui o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza (SNUC), as Unidades de Conservação (UCs) da categoria Proteção Integral, têm como objetivos a conservação da biodiversidade, bem como promover a visitação e o contato com a natureza por meio de educação e interpretação ambiental, recreação e turismo ecológico. Um dos objetivos fundamentais da criação dos Parques é a promoção do uso público nessas áreas.

 

Segundo o Plano de Manejo do PAEST, o uso público é o que estabelece práticas e orientações para as atividades de visitação, turismos e a valorização e conservação da cultura local e dos recursos naturais. 

O Parque Estadual da Serra do Tabuleiro, abrange áreas de nove municípios: Florianópolis, Palhoça, Santo Amaro da Imperatriz, Águas Mornas, São Bonifácio, São Martinho, Imaruí, Garopaba e Paulo Lopes. Sua extensão compreende as Serras do Tabuleiro, a Serra do Cambirela, a Serra do Morretes, a Serra do Capivari e Serra da Santa Albertina. Além das ilhas de Fortaleza/Araçatuba, Ilhas do Andrade, Ilhas dos Papagaios Grande e Pequena, Três Irmãs, Moleques do Sul, Siriú, Coral, dos Cardos, do Largo e a ponta sul da Ilha de Santa Catarina.

Devido a sua vasta extensão territorial e diversidade de ambientes, o PAEST apresenta inúmeras potencialidades para o uso público, como trilhas, escalada, montanhismo, mountain bike, cachoeiras, canionismo, rafting, vôo livre e muito mais. Entretanto, de forma geral, muitas trilhas e atrativos não possuem sinalização ou estruturas de suporte à visitação. 

ATRATIVOS:

CENTRO DE VISITANTES 

Centro de Visitantes do PAEST, se localiza na Baixada do Maciambu, em Palhoça, e oferece ampla estrutura e equipe qualificada para o recebimento de turistas e grupos de estudantes de todos os níveis que querem conhecer um pouco mais a UC, aprofundar a aprendizagem da sala de aula, além de ser um espaço aberto ao público e gratuito.

 

No Centro de Visitantes do Parque, podemos destacar a Trilha Interpretativa da Restinga do Maciambú, que oferece infraestrutura para processos educativos através da sensibilização e conscientização sobre a importância do ecossistema de restinga, bem como sobre a conservação da natureza. Também é possível conhecer um importante monumento geológico: os cordões arenosos, na forma de semicírculos, que são resultado das oscilações do nível do mar durante milhares de anos.

O horário de funcionamento do Centro de Visitantes é de quarta-feira a domingo, de 09h às 16h. Devido a pandemia, para visitar é necessário realizar o agendamento através do formulário:

WhatsApp Image 2020-03-12 at 14.21.51.jpeg
Em Garopaba, Paulo Lopes, Palhoça e Florianópolis...

Nesses municípios as principais atividades ligadas ao uso público são: o turismo de sol e praia, de aventura, ecoturismo e turismo cultural. Existem diversas trilhas de acesso a cachoeiras, manguezais e às praias, como por exemplo, as praias da Guarda do Embaú, do Sonho, o balneário da Pinheira e a praia de Naufragados.

Também é possível observar e desfrutar das belas paisagens litorâneas a partir de pontos estratégicos de visualização da paisagem, como é o caso do Mirante da Gamboa e a Pedra do Urubu, e ainda, conhecer um pouco da história da ocupação da região que carrega fortes aspectos das culturas açoriana, indígena e quilombola, respectivamente nas localidades da Enseada de Brito em Palhoça,  do Sambaqui da Pinheira e do Sítio Cerâmico Guarani na Gamboa, além do do Morro do Fortunato em Garopaba.

Outro destaque na região litorânea é a observação de Baleias Francas, já que toda essa região é considerada um refúgio para a espécie, que buscam o litoral sul e leste catarinense devido aos recortes da zona costeira que formam enseadas e baías protegidas para o acasalamento e amamentação dos filhotes. 


 

Morro do Cambirela

Um dos pontos mais procurados por quem quer conhecer mais o PAEST, é a trilha do Morro do Cambirela, localizada em Palhoça, e é um dos principais cartões postais da UC.

 

A subida é uma das melhores opções de trekking de todo o estado, considerada uma trilha de alto nível de dificuldade, exige bom preparo físico para se atingir o pico do morro, a mais de 1.000 m de altitude.

 

Portanto, sempre é recomendável contratar um condutor qualificado para realizar trilhas mais extensas, e sempre informar algum familiar ou amigo sobre a atividade que você vai realizar.

Para saber a lista dos condutores autorizados, é só clicar no botão a seguir: 

foto site.png

Cambirela

Em Santo Amaro da Imperatriz, Águas Mornas, Imaruí, São Martinho e São Bonifácio...
ect302.jpg

Nos municípios de Imaruí, São Martinho e São Bonifácio o turismo religioso, rural e cultural, o ecoturismo e esportes de aventura, demonstram o potencial da região que atrai muitos turistas. O município de Imaruí tem destaque com a Festa do Senhor Bom Jesus dos Passos e a Gruta de Santa Albertina em São Martinho, que se tornou referência para católicos por ter se tornado a primeira santa brasileira. Os municípios oferecem ainda estruturas que retratam a colonização da região e trazem o turista para perto da  história das colonizações açoriana e alemã, como é o caso do Museu Histórico Prof. Francisco Serafim Guilherme Schaden em São Bonifácio, do Museu Padre Renato Rohr em São Martinho e da pousada Cachoeira dos Pilões em Imaruí. 

Outro atrativo importante dos municípios do entorno do Parque são os cafés coloniais, que exibem a produtos coloniais, como as deliciosas cucas, as geléias, as bolachas, os pães caseiros e o mel puro colhido na região. Os cafés coloniais são comuns nos municípios de Santo Amaro da Imperatriz, Águas Mornas, São Martinho e São Bonifácio. Essas regiões contam ainda com trilhas em meio a  natureza, muitas vezes praticamente intocada, vistas  panorâmicas com belas paisagens, cachoeiras, rios, lagoas e diversos atrativos para esportes de aventura como montanhismo, trekking, canionismo, rafting e tirolesa. Um exemplo é a Cachoeira Rio do Salto em São Bonifácio, que apresenta beleza singular, oferece estruturas para esportes de aventura, é um dos principais cartões postais do Estado. 

Os municípios de Águas Mornas e Santo Amaro da Imperatriz, apresentam fortes características de turismo de aventura, rural, cultural e ecoturismo e são conhecidos mundialmente por suas estâncias hidro-minerais. As propriedades terapêuticas das águas termais servem para tratamentos de combate ao estresse e doenças crônicas e em toda região há diversas opções de pousadas e  hotéis que garantem terapias alternativas, lazer e esportes aos visitantes. Mas a região também é destaque nas atividades ao ar livre, e no turismo de aventura, com destaque para a rampa no Morro Queimado em Santo Amaro da Imperatriz, que tem 694 m de altura, onde são realizadas as principais competições de voo livre do estado, com ótimas condições para o voo livre. O pico também serve como um mirante da paisagem local.  A região tem destaque também por ser um dos maiores mananciais de água do PAEST, e apresenta bons trechos para o rafting e a canoagem ao longo do Rio Cubatão, do Rio Salto e Rio Forquilhinhas.

 Outros atrativos são as trilhas de curta e longa duração em meio a natureza, como por exemplo a Travessia da Serra do Tabuleiro, que liga Santo Amaro da Imperatriz a São Bonifácio, por meio da mata intocada e dos campos de altitude até chegar no Pico do Tabuleiro com 1.260 metros de altitude. O pico do Tabuleiro representa um dos principais elementos da paisagem local, e é possível ter a vista da Ilha de Florianópolis e das encostas da Serra Geral. Há também na região diversas opções de percursos de mountain bike de até 15 km que passam por cachoeiras, riachos e outras paisagens encantadoras. 


 

Design sem nome (1).png

DICAS DE SEGURANÇA

PLANEJE SEU PASSEIO

Antes de escolher um passeio, informe-se sobre as características do local, como distância, presença de água potável e o grau de esforço físico exigido.

NÃO CORRA RISCO DESNECESSÁRIOS

resgates em áreas naturais são complexos e demorados. Algumas trilhas no PAEST possuem pouca sinalização, então saber cuidar de si é essencial. Esteja atento também a animais silvestres na hora de se apoiar em galhos ou árvores, tais como cobras, aranhas e lagartas.

SEMPRE USE O EQUIPAMENTO ADEQUADO

Para trilhas longas e irregulares, use botas ou tênis de cano alto para evitar torções e leve sempre protetor solar, boné, repelente, garrafas de água, lanche, lanterna (se for fazer uma trilha noturna) e celular com bateria.

CONTRATE UM CONDUTOR OU GUIA AUTORIZADO

Eles são essenciais em trilhas pouco marcadas, longas e com terreno muito acidentado. Em trilhas com maior grau de dificuldade, a presença de um bom guia faz toda a diferença, pois, caso necessário, ele irá prestar os primeiros socorros e acionar um resgate.